segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Argumentos Biogeográficos

A Biogeografia analisa a distribuição geológica dos seres vivos. Esta ciência conclui que as espécies tendem a ser tanto mais semelhantes quanto maior é a sua proximidade física e, por outro lado, quanto mais isoladas, maiores são as diferenças entre si, mesmo que as condições ambientais sejam semelhantes. Darwin teve oportunidade de verificar esta situação ao conhecer as ilhas de Cabo Verde e o arquipélogo das Galápagos.
Outro exemplo que apoia a concepção evolucionista relaciona-se com os mamíferos australianos. Neste continente, os mamíferos são significativamente diferentes dos mamiferos dos restantes coninentes. Actualmente, todos os mamíferos australianos são marsupiais (nascem num estado embrionário e completam o seu desenvolvimento no interior de uma bolsa materna), não existindo mamíferos placentários (todo o desenvolvimento embrioário tem lugar no útero materno), à excepção dos que foram introduzidos pelo Homem.

Há cerca de 200 M.a., a Austrália estava ligada aos restantes continentes, formando a Pangeia. Por isso, o mamíferos podiam deslocar-se por todo este supercontinente. Mas, após a separação dos continentes, os mamíferos evoluíram independentemente. Enquanto na Austrália os marsupiais persistiram e diversificaram-se, nas restantes regiões do Mundo sofreram intensa competição tendo, quase, desaparecido.

Assim, a evoluçao permite compreender distribuição geográfica das espécies.

Imagem retirada do livro "Biologia 11" da Areal.

Ana Ribeiro

1 comentário:

TIAGOGEO disse...

Distribuição Geológica???